Tempo  2 días 45 minutos

Coordenadas 5225

Fecha de subida 11 de agosto de 2017

Fecha de realización agosto 2017

  • Valoración

     
  • Información

     
  • Fácil de seguir

     
  • Entorno

     
-
-
2.279 m
1.028 m
0
7,2
14
28,8 km

Vista 4217 veces, descargada 498 veces

preto de Cascatinha, Rio de Janeiro (Brazil)

Travessia feita no sentido clássico, em 3 dias, contempla visita ao Portais de Hércules.

LOGÍSTICA:
Por se situar bem próximo a um trecho bem urbanizado, a travessia do PARNASO possui uma logística relativamente simples.
O montanhista pode chegar ao início da travessia de ônibus. A linha 611 (Bonfim-Pinheiral) possui um ponto próximo à portaria do parque e pode ser tomada no Terminal Rodoviário de Correias (bairro de Petrópolis). Da portaria de Teresópolis, o montanhista pode tomar qualquer ônibus que o deixe próximo à rodoviária da cidade.

Se carro for a escolha, são duas opções: 1. deixá-lo no estacionamento do Parque, em Teresópolis. Tomar um ônibus até a rodoviária de Terê e outro até o terminal rodoviário de Itaipava (Viação Teresópolis, ônibus diários a cada 2 horas, último carro 19h). No Terminal de Itaipava tomar um ônibus até o T. Correias (linha 700) e de lá a linha 611 até o Parque.
2. seguir de carro até a portaria do PARNASO de Petrópolis e combinar com algum funcionário para deixar o carro em Terê. O valor cobrado pode girar em torno de R$150.

A TRAVESSIA:

1º dia:
A caminhada começa tranquila, por um trecho bastante sombreado. Logo começam as subidas, que alternam trechos suaves, moderados e pesados até o topo da Serra dos Órgãos. O trajeto é praticamente só subida, a única descida antes de alcançar o topo é num curto trecho que precede o Ajax (ponto de água).

Com um bom preparo, a subida é feita em cerca de 4h (com cargueira). Todo o trecho inicial é banhado por diversos afluentes do Rio do Bonfim. Após a bifurcação para a Cachoeira Véu da Noiva os pontos de água são o Ajax (próximo ao fim da subida) e no próprio abrigo do Açu.

A Isabeloca é uma famosa por uma espécie de canaleta. Possui diversos degraus de alturas variadas. De uma forma geral é uma subida tranquila para quem está habituado ao montanhismo. No topo da serra a caminhada é feita pelos lajeados, onde a trilha pode não estar muito visível, principalmente em caso de nevoeiros/neblina. Alguns totens facilitam a orientação.

2º dia:
Alterna subidas e descidas, de diferentes níveis. Na saída do Açu uma descida relativamente curta precede a subida moderada do Morro do Marco. Após a passagem pelo topo do morro, numa espécie de colo, o montanhista pode optar por sair à direita do eixo principal e conhecer os Portais de Hércules. Em um ritmo constante e sem prejuízos para a navegação, o trajeto Açu x Hércules é feito em cerca de 45 minutos. A descida para os Portais é moderada, o ideal é descer sem a cargueira.

Saindo dos Hércules e voltando ao eixo principal, há uma descida moderada/pesada até o Vale da Luva. Após uma subida pesada até o quase topo do Morro da Luva, que é contornado pela direita. Depois uma descida até um vale, onde a caminhada é feita ao longo de um charco. Saindo do charco, uma descida moderada por lajes até o fundo do vale, no ponto que precede o Elevador.

Elevador é uma subida por via ferrata, uma espécie de escada. Em condições normais, é uma subida tranquila. Em alguns pontos faltam grampos, mas são trechos menos íngremes que e que acabam por não dificultar a subida. Depois de contornar alguns morros, é preciso descer até o Vale das Antas. ATENÇÃO neste trecho para não acabar pegando uma saída errada. Tente coletar a água num ponto mais acima do riacho, já que este ponto já foi bastante utilizado para acampamento.

A saída do Vale das Antas começa com uma subida moderada que estabiliza após o dorso da Baleia. Nos trechos mais altos há diversos charcos que demandam atenção. Depois há uma descida curta e muito acentuada, chamada de Mergulho. Depois do Mergulho há um novo sentido na trilha, que contorna por curvas de nível até chegar à caneleta do Cavalinho. O ideal para o Cavalinho é passar primeiro a cargueira (se estiver sozinho) e depois montar. Se estiver em 2 pessoas ou mais, primeiro monte e depois suba com as cargueiras. Um cordelete pode facilitar na transposição para aqueles menos experientes. Passada a canaleta a caminhada segue tranquila até o Abrigo 4, sendo que há a bifurcação para a Pedra do Sino no caminho.

São três pontos de água ao longo da rota, que é bem exposta ao Sol/chuva.

3º dia:
Praticamente só descida e com pouquíssimo visual das serras, já que a caminhada é em meio a mata. Boa disponibilidade de água no caminho. A cachoeira Véu da Noiva fica na beira da trilha, mas é um poço bem pequeno e que não passa da altura do joelho. A descida leva em torno de 2h30, com bom ritmo e curtas paradas.

O tracklog foi finalizado na barragem, no final do trecho de trilha. Da barragem à portaria são 3km por uma estrada de calçamento interna do PARNASO. Se optar por fazer a logística de carro, você pode deixá-lo neste ponto e evitar a descida. É um trecho sem muitos atrativos e com visual interno da mata.

CONSIDERAÇÕES:
> Para fazer a travessia é preciso comprar os ingressos, disponíveis no site: http://www.parnaso.tur.br/ ou no local (se fizer na alta temporada, compre pelo site COM ANTECEDÊNCIA)

> Do ponto de vista física, é uma travessia que exige um bom condicionamento. Do ponto de vista técnico, uma travessia que pode ser classificada como fácil em grande parte. O trecho entre abrigos é o mais técnico, em virtude das descidas por lajes, subidas íngremes e pelos obstáculos naturais, como o Mergulho, o Cavalinho e o Coice (lance de subida após o Cavalinho);

> A travessia do PARNASO pode ser feita com tranquilidade em 2 dias, incluindo a visita aos Portais de Hércules. Neste caso o visitante perde o nascer/por do Sol na Pedra do Sino, mas consegue aproveitar o belíssimo visual do Açu e dos Portais.

> Dentro do possível, procure fazer essa travessia bivacando ou utilizando os beliches. Assim não é preciso carregar barraca e materiais de cozinha, já que é permitido utilizar os dos Abrigos. Se ficar no camping, leve utensílios de cozinha.

> Boa disponibilidade de água, mesmo no inverno. Uma garrafa de 1L é o suficiente;

> Para previsão do tempo no local, pesquise no Google "Temperatura Pedra do Sino". Fazer essa travessia com céu limpo e tempo aberto é um diferencial!

> Inverno costuma ser realmente frio. Leve equipamentos e roupas adequados;

> Trilha de fácil navegação, mesmo nos trechos sobre lajes, que contam com o auxílio de totens e setas, DESDE QUE HAJA VISIBILIDADE. Caso contrário, GPS/bússola/carta é fundamental.

> Sinal de celular próximo aos Abrigos!

> Boa trilha!

Ver más external

2.257m

23 comentarios

  • Foto de geliofigueiredo

    geliofigueiredo 02-ene-2018

    Parabéns pelo relato. Obrigado pelo tracklog

  • Foto de Neitson

    Neitson 06-feb-2018

    Excelente! Obrigado por compartilhar o arquivo!

  • Foto de kelcarina

    kelcarina 01-may-2018

    Chegando na barragem, há serviço de van gratuito, que leva até a portaria do parque. Serviço este, estava disponível no dia 30/04/2018. A van está plotada com a identificação do parque.

  • Danie Manzini 30-jun-2018

    Travessia muito show.
    Usei esse tracklog, e foi super de boa.

  • Danie Manzini 30-jun-2018

    He realizado esta ruta  ver detalle

    Travessia muito show.
    Usei esse tracklog, e foi super de boa.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 30-jun-2018

    kelcarina,
    bom saber!
    será que a van roda mesmo em dias comuns? se não me falha a memória 30/4 foi feriado, né..

    Gelio, Neitson e Danie,
    bom que tudo correu bem. Bons ventos!

  • Foto de André C Lima

    André C Lima 10-sep-2018

    He realizado esta ruta  verificado  ver detalle

    Traacklog perfeito em todos os quesitos!! Muito fácil pra seguir!!

  • Foto de Diego Albuquerque

    Diego Albuquerque 26-sep-2018

    Segui o caminho do Hélio e o caminho foi perfeito. Me ajudou bastante! Muito obrigado!

  • Foto de iuri lacerda santos

    iuri lacerda santos 09-oct-2018

    Tem necessidade de levar corda?

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 09-oct-2018

    Olá Iuri,

    necessidade mesmo não tem. Fiz todo o caminho sem qualquer tipo de equipamento especial.
    Mas se quiser, um cordelete pode ajudar na hora de passar as cargueiras pelo Mergulho e pelo Cavalinho.

  • Foto de iuri lacerda santos

    iuri lacerda santos 09-oct-2018

    Muito obrigado pela dica.

  • Foto de iuri lacerda santos

    iuri lacerda santos 17-oct-2018

    Hélio, Muito obrigado, seguir Suas dicas a trilha foi perfeita.

  • Foto de Anderson Motta de Castro

    Anderson Motta de Castro 09-dic-2018

    Parabéns pelo excelente relato.
    Já fiz por duas vezes mas você foi preciso no seu relato.
    Muito bom mesmo!

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 09-dic-2018

    Iuri e Anderson,
    obrigado pelas palavras. Bons ventos!

  • Foto de carlos_guia

    carlos_guia 10-mar-2019

    Hélio, você observou se dá pra fazer essa travessia apenas utilizando este tracklog no aparelho celular? Fiz algumas tecklogs apenas com o celular e pegou legal, mas será que pra serras dos orgaos também funciona perfeitamente ou fica sem sinal de satélite? Meu garmin 64sc deu pau.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 11-mar-2019

    Carlos,

    acredito que dê pra fazer com o aplicativo sim, até porque tanto o smartphone quanto o GPS funcionam com sinal de satélite. Pode ser que tenha alguns lugares que a recepção não seja tão boa, mas nada que prejudique a travessia, que é de fácil navegação. Se utilizar o app tenha atenção com a duração da bateria no aparelho.

  • Foto de silvio.radical

    silvio.radical 25-abr-2019

    Fiquei muito feliz em concluir a travessia com minha noiva nesse feriado de Páscoa! Recomendo levar o menor peso possível e fazer em 3 dias ou mais,pois fiz em 2 dias e foi bem cansativo!

  • g.rogowski 27-abr-2019

    Muito bom! Uma dúvida. Depois de eu passar o arquivo GPX para o Etrex 10 da Garmin, como faço para que apareçam os pontos de interesse, como os mirantes e pontos de água? Para mim aparece apenas o arquivo do trajeto básico, sem informação alguma. Se alguém puder me ajudar, agradeço.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 28-abr-2019

    g.rogowski,

    quando fizer o download do arquivo pelo Wikiloc, você tem que selecionar a caixinha "Incluir locais mostrados no mapa".
    Aí waypoints e trajeto serão compilados num só arquivo.

  • g.rogowski 29-abr-2019

    Hélio Jr, Obrigada! Era realmente isso que eu estava esquecendo!

  • Foto de danielcolorado

    danielcolorado 03-jun-2019

    He realizado esta ruta  ver detalle

    Baixei o tracklog pelo aplicativo no celular ( tem que pagar o Wikiloc ou cancelar antes de vencer duas semanas grátis). Mesmo usando pela primeira vez, foi relativamente fácil usar e ajuda muito, essencial na travessia Petrópolis-Teresópolis. Obrigado!

  • Foto de Beto Dias

    Beto Dias 18-jul-2019

    He realizado esta ruta  verificado  ver detalle

    Gratidão Hélio...fiz minha trilha de 15 a 17/07/2019 utilizando a sua...seus comentários tb foram de gde ajuda: precisos...abraço

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 23-jul-2019

    Daniel e Beto,
    Bom que tudo correu bem na travessia de vocês, agradeço o feedback! Bons ventos!

Si quieres, puedes o esta ruta