Tempo  un dí 10 horas 24 minutos

Coordenadas 5272

Fecha de subida 24 de julio de 2018

Fecha de realización julio 2018

  • Valoración

     
  • Información

     
  • Fácil de seguir

     
  • Entorno

     
-
-
1.405 m
607 m
0
10
20
40,94 km

Vista 2135 veces, descargada 110 veces

preto de Ouro Fino, Minas Gerais (Brazil)

Travessia realizada em dois dias; entre os povoados de Extrema, em Congonhas do Norte, e Fechados, pertencente a Santana de Pirapama.

LOGÍSTICA:
Como a travessia foi realizada em grupo, organizada pelo Francisco Cardoso (Chico Trekking), todo o traslado foi realizado de van.

Utilizando como referência Belo Horizonte, para realizar esta travessia de forma autônoma, a logística se dará mais ou menos da seguinte forma:
- Ônibus da viação Serro de BH a Conceição do Mato Dentro (CMD);
- Ônibus da viação Serro de CMD a Congonhas do Norte, descendo no acesso para Extrema e percorrendo a estradinha a pé (aprox. 7km); ou, se estiver em grupo, combinar um táxi de CMD ao início da trilha;

O retorno:
- Ônibus rural de Fechados a Santana de Pirapama, aparentemente todos os dias pela manhã; ou, se estiver em grupo, combinar um resgate de táxi desde Sete Lagoas;
- Ônibus de Santana de Pirapama a Sete Lagoas, pela Viação Setelagoano (verificar horários no site);
- Ônibus de Sete Lagoas a BH, pela viação Setelagoano (boa oferta).

Nota-se que, ao realizar esta travessia de forma autônoma, certamente será preciso um tempo disponível superior a 2 dias, a não ser que seja combinado o traslado de táxi.

A TRILHA:
1º dia: Extrema x Córrego do Barbado:

O tracklog começou a ser marcado no povoado de Extrema para fins de localização, mas de táxi ou van é possível seguir até o mata-burro (aprox. 1.2km do arraial), onde a trilha se inicia. A partir daí a trilha alterna subidas e descidas curtas até o ribeirão Congonhas, onde mais abaixo se encontra a cachoeira Carapinas. Após cruzar o córrego tem início uma longa subida pela Serra do Abreu/Serra Talhada, que termina num platô conhecido como Campo Quadrado, que também é a cabeceira do Rio Preto.

Após atravessar o platô, começa uma forte descida em cascalho rumo ao vale do Rio Preto. Depois de cruzar o Córrego do Soberbo, tem início a subida pela face leste da Serra do Cipó, que é mais suave. Depois de passar pela pedreira entramos no terreno de Seu Batu e Dona Cacilda, que são bem amistosos.

Após cruzar o topo do morro, entramos no vale do Córrego dos Pilões, que nos acompanhada até a chegada ao Rio Preto. No caminho passamos pela Fazenda Pinhões, que não possui restrição. Lembre-se de fechar as porteiras.

Após aprox. 18km chegamos ao Rio Preto, em um trecho encachoeirado, onde fizemos uma pausa mais longa. Cruzamos o rio pelas pedras, em um trecho logo após a um belo remanso. Na parte baixa do rio (não marcada no tracklog) existem algumas cascatas e bons poços para banho.

Na saída do rio seguimos em ligeiro aclive, mais adiante deixamos de lado a trilha mais batida em favor de um caminho mais discreto que segue descendo à esquerda, acompanhando o leito do Rio Preto. A caminhada segue em relevo suave até o Córrego do Barbado, local onde há alguns banquinhos rústicos e terreno estável, que utilizamos como acampamento.

Antes do final da tarde, fizemos um rápido ataque a uma interessante cachoeira no Córrego do Barbado, mais conhecida como Cachoeira da Samambaia.

2º dia: Córrego do Barbado x Fechados

Seguindo pela trilha, cruzamos o córrego do Barbado e mais adiante o Córrego Samambaia, que também possui uma boa área para acampamento. Depois de cruzar o córrego tomamos o rumo leste, por um rápido trecho sem trilha definida, até interceptar o trilho principal mais a frente. Cruzamos um pequeno córrego, afluente do Samambaia e iniciamos a subida do Miltinho, uma aclive pesado, porém relativamente curto, até os campos de altitude da Serra do Cipó.

Ao término da subida a trilha segue estável por campos, em uma região de amplo visual. Passa pela cabeceira de alguns córregos, mas no período de seca não há disponibilidade de água neste trecho até o Ribeirão dos Fechados.

Na cabeceira do Córrego dos Queimados é preciso dar uma deriva para esquerda, rumo a um cocho azul que pode ser visto de longe. Depois do cocho a trilha se embrenha por uma vegetação de cerrado, onde há diversas trilhas paralelas e muitas bifurcações. Próximo a uns afloramentos rochosos deixamos a trilha mais consolidada em favor de uma trilha discreta que embrenha no cerrado. É um trecho um pouco confuso até chegar a uma cerca velha, que cruzamos. Após a cerca a trilha segue por alguns metros e some, desta forma é preciso seguir no rumo até interceptar uma trilha consolidada que passa em uma parte mais baixa do terreno.

De volta ao trilho mais batido, a trilha segue sem dificuldades e em declive até as proximidades da Casa do Valtinho. Próximo ao córrego tomamos à esquerda na bifurcação em T, iniciando a descida da serra. A trilha vai acompanhando o leito do Córrego dos Fechados e passamos pela Cachoeira do Cânion, cuja entrada está indicada no tracklog.

Seguimos descendo por uma trilha muito bem demarcada, já que os moradores utilizam mulas e cavalos como meio de transporte. Depois da casa de Chiquinho a trilha se afasta do córrego para fazer o contorno a um morrote. Depois de uma boa descida, já chegando em outra casa, tem uma bifurcação à direita que leva às cachoeiras Horizontes e Cobu. Depois de entrar à direita, seguimos sempre à esquerda nas bifurcações seguintes até chegar à cachoeira Horizontes, nosso ponto de parada no segundo dia.

Depois de algum tempo no local, retornamos à trilha para finalizar a descida da Serra do Cipó, trecho este com alguns degraus e declive mais acentuado. No fim da descida tem início o trecho por estradinha, adiante tomamos à direita numa trilha para atalhar caminho e chegar rapidamente ao centro de Fechados.

Fechados é um povoado bem pequeno, com poucos estabelecimentos. Antes de iniciarmos a travessia foi combinado um almoço na pousada Águas do Cipó, que fica bem próxima do centro. No local almoçamos e, após, fizemos o retorno para BH.

OBSERVAÇÕES:
- Trilha de dificuldade moderada, com alguns aclives e declives acentuados, trechos com bastante cascalho, degraus em rochas, travessias de córregos, etc. Para iniciantes na atividade, pode ser uma trilha difícil, devido às distâncias envolvidas e ao terreno irregular.

- Mesmo no inverno há uma boa disponibilidade de água na rota, mas atenção para os trechos longos sem disponibilidade de água: como na parte final da subida ao Campo Quadrado até a chegada ao vale do Rio Preto; e no trecho pelos campos de altitude da Serra do Cipó.

- A trilha não está inserida em nenhuma unidade de conservação, entretanto o acesso é livre e permitido. Para que continue como tal, é fundamental o respeito com os moradores locais e com sua propriedade, além fechar as tronqueiras/porteiras/cancelas sempre que passar por elas.

- Não há sinal de telefone celular ao longo da rota. A travessia permite uma rota escape, que seria a saída para o povoado dos Inhames, na bifurcação existente após a Fazenda Pinhões. Trata-se, porém, de um trecho longo, que leva cerca de 6h para ser completado em ritmo normal.

- Embora pareça ser um trajeto longo para dois dias, pode ser feito desta forma sem dificuldades, desde que a caminhada se inicie cedo nos dois dias. Quanto mais cedo se iniciar, mais tempo terá para aproveitar os principais atrativos da rota, a saber: cachoeira Carapinas, cascatas do Rio Preto, cachoeira Samambaia e as cachoeiras de Fechados.

- Não há qualquer ponto de apoio ao longo da rota, à exceção da Pousada do Valtinho, já bem próximo de Fechados. Portanto, leve água e lanche suficientes. O acampamento é no estilo natural ou "selvagem", portanto é recomendado ter alguma experiência no transporte de cargueiras e na montagem do acampamento.

- Existem algumas área interessantes para acampamento ao longo da rota, mas para a forma como se propõe esta travessia, o ideal é que o acampamento seja feito nas proximidades do Córrego do Barbado ou do Córrego Samambaia, desta forma as distâncias as serem percorridas nos dois dias seriam parecidas, algo em torno dos 20km.

- O ataque à cachoeira Samambaia não possui trilha definida, mas a vegetação ajuda a vencer o trecho de aproximadamente 700 metros.
Waypoint

Córrego Samambaia

Waypoint

Cruzar córrego

Waypoint

Início subida do Miltinho

Waypoint

Fim primeira subida

Waypoint

Visual Serra do Cipó

Waypoint

Derivar para esquerda rumo cocho azul

Waypoint

Nascente/Pouca água

Waypoint

Cocho Azul

Waypoint

Direita trilha discreta. Trecho confuso pelo cerrado

Waypoint

Atravessar cerca/Trecho sem trilha definida adiante

Waypoint

Reencontro trilha

Waypoint

Fechados

Waypoint

Direita atalho

Waypoint

Esquerda Fechados

Waypoint

Entrada para cachoeira do cânion

Waypoint

Casa Chiquinho

Waypoint

Entrada para cachoeiras/Casa adiante

Waypoint

Esquerda Horizontes/Direita Ofurô

Waypoint

Córrego Cobu

Waypoint

Água

Waypoint

Estradinha

Fervenza

Cachoeira do Horizonte/Horizontes

Waypoint

Extrema

Waypoint

Esquerda

Waypoint

Mata-burro/Início da trilha à direita

Waypoint

Casinha/Água adiante

Waypoint

Esquerda

Waypoint

Casa Dona Geralda

Waypoint

Cachoeira Carapinas

Waypoint

Ribeirão Congonhas

Waypoint

Água pouca

Waypoint

Matinha

Waypoint

Campo Quadrado

Waypoint

Voçoroca

Waypoint

Água

Río

Córrego Soberbo

Afluente Rio Preto
Waypoint

Pedreira

Waypoint

Casa Dona Cacilda e Seu Batu

Waypoint

Água

Waypoint

Capão de mata/Água adiante

Waypoint

Córrego Pilões

Waypoint

Entrada Fazenda Pinhões

Waypoint

Esquerda

Waypoint

Direita Rio Preto/Esquerda Inhames

Río

Córrego dos Pilões

Waypoint

Esquerda

Waypoint

Seguir pela direita

Waypoint

Rio Preto/Cascatas abaixo

Waypoint

Descer à esquerda

campamento

Camp/Córrego do Barbado

Local de pernoite

5 comentarios

  • Foto de fernandalves

    fernandalves 10-sep-2018

    He realizado esta ruta  verificado  ver detalle

    Linda a travessia e a tracklog está perfeita super informativa, valeu!!!

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 11-sep-2018

    Obrigado pelo feedback Fernanda.
    Um abraço

  • Foto de Bruno Chamone

    Bruno Chamone 16-sep-2020

    Esse percurso é pedalavel? Valeu.

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 17-sep-2020

    Bruno,

    parte dele é sim, mas existem outros trechos mais pedaláveis caso você queira fazer essa rota.

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 09-oct-2020

    Ei Bruno,
    Obrigado pelo feedback.
    E desculpas pela demora na resposta. Estive ausente das redes por um período.
    Como o Hélio escreveu, parte do trecho é pedalável. Ousaria escrever que uns 90%, dependendo da experiência e equipamento. Essa região é muito vasta e como gde parte das trilhas pelo Espinhaço, curtir com bike é sempre possível, bastando algum ou outro ajuste; claro, sempre levando em consideração a experiência praticante/equipo disponíveis. Bons ventos pra Ti, abraços

Si quieres, puedes o esta ruta